Anúncio 1

Últimos Posts

Eu faria assim: Filme de ficção científica - O Devorador de Ossos - Capítulo 6 - Parte 4

Em meio á comoção com a perda de Bob, a Dra. Masterson traz boas e más notícias.
                                                                                           
O clima de alívio e alegria ainda toma conta do ambiente da tenda de comunicação com a NASA montada próximo á base de pesquisa após o lançamento com sucesso da missão rumo à Europa. Apesar do susto antes do acoplamento, Sibelle está aliviada e traz um grande sorriso no rosto. Ela está ansiosa para se comunicar com Mark, pois sabe que ele deve estar muito feliz por realizar seu grande sonho, mas entende a preocupação da equipe de Peter em não causar distração nos momentos críticos da missão. O Coronel Burke também parece contente com o desenrolar dos fatos e conversa com dois soldados enquanto Sibelle está sentada e não tira os olhos dos monitores.

De repente, John adentra a tenda com o rosto inchado e os olhos vermelhos que denunciam lágrimas recentes. A expressão de Sibelle muda e ela se levanta rapidamente, vai em direção a ele e diz:

- O que aconteceu? Bob está bem?

John balança negativamente a cabeça e recomeça a chorar. Sibelle o abraça carinhosamente para consolá-lo e Burke se aproxima ao ver a comoção. Ele chega perto dos dois e fala:

- Sinto muito por seu amigo, John, mas tenha certeza de que estamos fazendo o melhor possível.

John olha para ele com o rosto de quem não acreditou muito em suas palavras e, depois de afastar gentilmente Sibelle, se aproxima dele e diz em tom grave:

- Se com o melhor você quer dizer sem nenhum respeito, eu concordo. Sua açougueira de plantão nem sequer esperou o corpo de Bob esfriar e já o está retalhando como se fosse uma cobaia de laboratório.

Burke engole seco após as palavras de John, mas tenta se justificar:

- Ainda não estou a par de todos os fatos, mas tenho certeza de que a Dra. Masterson está fazendo o que acha melhor em nome da segurança nacional.

John enxuga as últimas lágrimas de seu rosto e retruca:

- O problema é até que ponto vocês pretender chegar em nome da segurança nacional e quem irá decidir essa linha. Por acaso é você?

O Coronel Burke respira fundo e responde:

- O presidente me colocou no comando dessa missão e me deu total apoio para conduzir tudo de acordo com os interesses da nação. Em momentos críticos como este, devemos deixar interesses individuais em segundo plano em favor do bem coletivo.

O argumento de Burke não parece convencer John e Sibelle percebe que a situação está próxima de sair do controle. Antes que isso aconteça, ela intervém e coloca a mão no ombro de John enquanto fala em tom conciliador:

- Calma John, você está sofrendo e este não é o melhor momento de tratar desses assuntos.

Burke aproveita a deixa de Sibelle e tenta desviar o foco:

- Isso mesmo, ainda mais depois do sucesso que acabamos de ter com o lançamento da missão que vai até o local de origem desse organismo em busca da cura.

John não se mostra muito empolgado com a notícia uma vez que “sucesso” é a última palavra que passaria pela sua cabeça para descrever o momento atual. Mesmo assim, ele sabe que não adianta gastar suas energias com Burke e que uma confrontação maior só iria piorar as coisas. Ele então sinaliza positivamente com a cabeça e se afasta de Burke para sentar em uma das cadeiras e colocar as mãos no rosto com os cotovelos sobre os joelhos. Sibelle se aproxima para sentar ao seu lado. Depois, ela coloca novamente a mão no seu ombro e diz:

- Sinto muito por Bob. Não o conhecia, mas pelo visto vocês eram bem próximos.

John retira as mãos do rosto e olha para Sibelle. Porém, antes que ele possa responder, a Dra. Masterson entra como um furacão na tenda. Ela se dirige ofegante até Burke e, depois de recuperar o fôlego, diz:

- Acabei de terminar a autópsia da primeira vítima e o que vi é simplesmente impressionante.
Suas palavras foram suficientes para ganhar a atenção de todos os presentes além de despertar ainda mais raiva em John, mas ele decide se segurar. Burke é o primeiro a questionar Theresa:

- Calma, respire um pouco, o que foi que você viu?
Theresa respira um pouco mais, se recompõe e abre um envelope que estava carregando para revelar um resultado de raio-x. Ela levanta a imagem para a luz e começa a falar se dirigindo ao grupo:

- Como vocês podem ver nesta imagem, os ossos da vítima foram quase totalmente consumidos pelo organismo e reduzidos a uma estrutura esponjosa de colágeno que é incapaz de segurar a musculatura e os órgãos internos. Pelas minhas estimativas, mais de noventa por cento do cálcio dos seus ossos foi consumido em poucos dias e a análise das amostras de sangue mostra uma multiplicação extremamente rápida do organismo, algo que eu nunca havia visto antes, principalmente considerando sua estrutura tão simples.

Burke se vira de costas e digere as palavras de Theresa. Sibelle está espantada e se levanta para questionar:

- Mas então quer dizer que as previsões caso enfrentemos uma epidemia pioraram ainda mais?

A Dra. Masterson olha para Sibelle e nem tenta disfarçar sua empolgação enquanto responde:

- Com certeza, estamos falando de um organismo com potencial para exterminar todos os animais vertebrados em um curto espaço de tempo considerando uma contaminação em massa.
Sibelle sente suas pernas fraquejarem e volta a se sentar enquanto seu rosto fica pálido. John permanece sem reação e apenas baixa seu olhar ao se lembrar de Mindy e de imaginar o que a aguarda em pouco tempo. Depois, ele decide perguntar sobre ela para Theresa:

- E quanto a Mindy? O que podemos fazer para ajudá-la e evitar que sofra como Bob?

O rosto de Theresa muda e ela não demonstra a mesma empolgação para responder:

- Sinceramente, não sei se podemos fazer muito. Estamos injetando cálcio diretamente em sua veia, mas isso tem surtido pouco efeito e na verdade parece estar estimulando ainda mais a multiplicação do organismo. Todos os antibióticos que tentamos não geraram qualquer diminuição desse ritmo, sendo assim...

Antes que a Dra. Masterson possa falar algo que irá gerar uma comoção ainda maior, Burke interrompe:

- Continuaremos fazendo o melhor por ela, mas acredito que nossa maior chance está na missão e em achar uma cura o quanto antes.

John também se lembra de outra coisa e decide questionar:

- E quanto a Jeremy? Como ele está?

A Dra. Masterson parece não ter gostado da pergunta pelo fato de fugir do assunto e responde sem muito interesse:

- Sim, havia esquecido de mencionar, ele está bem e pelos exames que fizemos não infectado pelo organismo. Ele teve apenas uma pneumonia devido à exposição ao frio, mas já retiramos ele da tenda de isolamento e ele está acordado em um leito que montamos separado. Você pode visitá-lo se quiser, basta pedir para alguém da minha equipe levá-lo até lá.

O rosto de John mostra o alívio com a resposta de Theresa e ele respira fundo, fecha os olhos e agradece em silêncio por pelo menos esta notícia boa. Ele se levanta e fala olhando para Sibelle:

- Venha Sibelle, queria que você fosse comigo ver Jeremy.

Sibelle fica sem saber o que fazer pois está ansiosa para falar com Mark. Ela olha para Burke como se estivesse pedindo permissão. O coronel percebe e diz:

- Pode ir, Dra. Sibelle, se precisarmos de você eu mandarei buscá-la. Enquanto isso eu ficarei aqui conversando com a Dra. Masterson e definindo nossos próximos passos baseado no relatório que ela acabou de dar.


Sibelle decide então aceitar e ela e John saem da tenda. Enquanto eles se afastam, John segue com um misto de emoções e, apesar da recente perda de Bob ainda pesar em seu peito ele fica muito feliz de saber que Jeremy está bem. John também sabe que ele e Sibelle precisam de outro aliado para tentar descobrir quais são os verdadeiros planos de Burke e Theresa e garantir que eles não façam nenhuma loucura.

Para começar a ler desde o início clique aqui

Lembrando que você pode nos acompanhar no FaceBook em https://www.facebook.com/MexidoDigital ou no twitter com @mexidodigital (https://www.twitter.com/MexidoDigital) 

Nenhum comentário