Anúncio 1

Últimos Posts

Eu faria assim: Filme de monstro - Parte 1


Eu sempre gostei de filmes de terror, principalmente daqueles que possuem alguma criatura ou monstro que aterroriza seus protagonistas. Filmes como Alien e Predador, mesmo sabendo que estes dois se encaixam mais na ação/ficção, criaram monstros que até hoje povoam nossa imaginação e pesadelos. Partindo mais para o lado do terror, eu citaria filmes como O Lobisomen (2010), O Enigma de Outro Mundo (1982), Vermes Malditos (1990) e Olhos Famintos (2001) como bons exemplos de filmes que mostram criaturas assustadoras.

Talvez o fato de também gostar de criptozoologia (estudo de criaturas lendárias) seja algo que aumente ainda mais meu fascínio por este estilo de filme. Tendo isso em mente, resolvi criar a minha história para um filme de monstro. Vou tentar juntar minhas ideias sobre o assunto de forma a criar uma trama menos fantasiosa e mais embasada na realidade. Na verdade, o cerne da história não será a criatura em si, mas um relacionamento entre pai e filho. Como de costume, apenas dois personagens terão nomes: o protagonista Kiam e seu filho John. Mas, diferentemente das outras vezes, nesta história eu colocarei os diálogos entre os personagens, tentando deixar o texto mais agradável e mais próximo ao que o leitor encontraria num livro ou conto.

Sem mais delongas, vamos à primeira parte da minha ideia para um filme de monstro:


A luz que vem da tela do notebook é a única claridade que ilumina o escritório de Kiam, que está calado e concentrado em seu trabalho. Ele é um engenheiro civil e está dando os retoques finais em mais um projeto estrutural que precisa ser entregue no dia seguinte. Sua agilidade em operar o computador e a habilidade com os cálculos contrastam com o fato de se tratar de um homem de mais de quarenta anos com vários cabelos brancos e algumas marcas de expressão. Sua atenção é subitamente desviada com o toque do telefone. Instintivamente, ele estica o braço para pegar o telefone e fala enquanto continua a trabalhar:
- Alô?

Uma voz feminina que soa um pouco irritada reponde do outro lado da linha:
- Kiam, sou eu. Precisamos conversar sobre o John.

Reconhecendo se tratar de sua ex-esposa, Kiam para de trabalhar, volta sua atenção para a conversa e responde:
- Sim, o que tem ele?
- John foi suspenso na escola de novo.

Kiam dá um suspiro e passa a mão no rosto antes de perguntar:
- O que ele aprontou agora?
- Ele agrediu um colega de classe.

Kiam se levanta da cadeira e anda até a janela do escritória antes de falar:
- E o que você quer que eu faça?

A mãe de John responde:
- Você precisa conversar com ele e passar mais tempo com seu filho. Não sei mais o que fazer com ele e acho que a falta da figura paterna nesse período da adolescência está afetando seu comportamento.
- Mas eu estou atolado de serviço para terminar, será que não poderíamos colocá-lo em uma psicóloga? Além disso, você sabe que ele não me respeita.

A voz feminina aumenta seu tom e responde:
- Não, isso não vai resolver. Você precisa assumir sua responsabilidade como pai e tentar ajudar seu filho antes que seja tarde demais.

Kiam fica em silêncio alguns segundos, se senta novamente na cadeira e depois de respirar fundo fala:
- Tudo bem, vou pensar em alguma coisa.
- Pois pense logo porque as férias escolares dele já estão chegando. Tchau.

Sua ex-esposa desliga o telefone e Kiam o segura próximo à orelha por alguns instantes antes de colocá-lo novamente no gancho. Ele sente o peso da responsabilidade e o sentimento de culpa por ter sido um pai tão ausente para John. Kiam sabe que precisa tentar algo para se aproximar mais do filho e ajudá-lo.

Depois de refletir por alguns minutos, Kiam avista um folheto um pouco amassado sobre sua mesa e o pega para observá-lo com atenção. Ele lembra-se do folheto que anuncia excursões turísticas com aventuras na natureza para diferentes localidades. Um local em especial chama sua atenção: uma excursão para o Himalaia para fazer uma trilha de 5 dias de duração nas bases de algumas montanhas famosas como o Everest. Kiam imagina que essa viagem seria uma excelente oportunidade para fortalecer os laços com seu filho e decide comprar dois pacotes para que ele possa levar John durante suas férias escolares que se aproximam.

Ele avisa a esposa e acerta todos os detalhes para a viagem. Sua expectativa cresce e ele fica ansioso pela chegada do grande dia, totalmente alheio aos desafios que aguardam os dois nessa viagem.

Nenhum comentário