Anúncio 1

Últimos Posts

Eu faria assim: Filme cristão


Eu sou um cristão evangélico. Isto talvez seja surpresa para alguns, mas aposto que todos os leitores do mexido sabem que sou cinéfilo. Desta forma, um dos meus passatempos favoritos é assistir a filmes. Infelizmente, o gênero de películas com temática cristã é carente de bons filmes e, muitas vezes, os melhores exemplares são aqueles baseados diretamente na Bíblia ou feitos por Hollywood. Como exemplo, podemos citar: Ben-Hur, A Paixão de Cristo, Os Dez Mandamentos, dentre outros (em breve teremos uma super produção contando da história de Noé). Da mesma forma, as poucas séries de TV do gênero também são adaptações de textos bíblicos, como a excelente série A Bíblia do canal History Channel.

Mas, quando os filmes não adaptam textos bíblicos e procuram abordar o tema através de ensinamentos e ambientação cristã, geralmente o resultado é decepcionante. Com histórias rasas, atuações forçadas e personagens totalmente deslocados da realidade, a maioria dos filmes cristãos decepciona os mais exigentes e acostumados às produções hollywoodianas. Posso contar nos dedos os filmes que realmente me agradaram, como por exemplo E Se...Você Tivesse Uma Segunda Chance? e a trilogia Deixados Para Trás (que foi uma adaptação de livros e inclusive está sendo refilmada com Nicolas Cage no elenco).

Diante deste cenário, resolvi escrever este post para registrar uma história para um filme cristão que tenho na minha cabeça já há algum tempo. A minha ideia é discutir temas que acredito serem relevantes diante do momento atual de ascensão das igrejas evangélias e dos perigos da distorção dos ensinamentos bíblicos. Me considero um cristão tradicional (às vezes até demais) e algumas novas teologias me causam estranheza e preocupação. 

Vale à pena destacar que respeito a liberdade de crença e todo o conteúdo do texto reflete minha fé e opiniões pessoais, ou seja, em nenhum momento isso deve ser visto como tentativa de ofender o direito de escolha das pessoas. A constituição do nosso país garante a liberdade de credo e minha intenção é apenas fazer uso dessa liberdade. Sem mais delongas, vamos à minha ideia para um filme cristão:



Pastor Leoj está em seu púlpito fazendo mais uma de suas pregações diante de uma igreja praticamente vazia. Constituído em sua maioria de idosos, os presentes não conseguem ocupar um décimo do espaço do templo. Em sua mente, ele não consegue deixar de questionar os motivos pelos quais o número de membros de seu rebanho continua diminuindo.

Mesmo não tendo muita memória de sua infância, Leoj sabe que passou por dificuldades antes de entrar nos caminhos do Senhor. Na adolescência, sofreu com um pai violento que distratava ele e sua mãe. Foi através da figura materna que Leoj começou a conhecer a Deus e a aprender Seus ensinamentos. Sua mãe o levava para os cultos e para a escola bíblica e contava histórias sobre o povo de Israel e Jesus Cristo. Ela o ensinou a acreditar na vontade de Deus e confiar que Ele sempre quer o melhor para o homem. A conversão posterior de seu pai e a restauração do casamento deles foram um grande testemunho do poder da oração daquele que se mantém centrado na vontade de Deus e contribuíram para Leoj aceitar o chamado para o ministério pastoral. Por isso, agora pastor, Leoj busca em oração a sabedoria para discernir qual a vontade de Deus para a sua igreja.

Após o culto, alguns líderes da igreja o convocam para uma reunião em seu gabinete. O pastor aceita prontamente o convite e eles se sentam para conversar. Os líderes expressam sua preocupação com a queda no número de membros e dizem que a igreja precisa mudar e se adaptar aos tempos modernos. Eles dizem que o louvor deve ser mais animado, ter coreografias e uma produção digna de show. Depois, reclamam que o pastor precisa diminuir o tempo de suas pregações e falar mais sobre o amor de Deus e as promessas de cura e prosperidade financeira. Para finalizar, os lideres insinuam uma possível troca de pastor caso a situação não seja revertida e depois se retiram do gabinete pastoral.

Calado durante toda a conversa, pastor Leoj fica sem reação, sentado em sua poltrona. Sua cabeça ferve com as dúvidas e ele questiona seu chamado por Deus para o ministério pastoral. Ele acredita que é preciso pregar o evangelho do arrependimento, do renascimento na fé em Cristo como salvador da humanidade e do amor a Deus acima de todas as coisas. Ele acredita que todo cristão deve pegar sua cruz e seguir os ensinamentos de Cristo para se afastar do pecado e permanecer puro, amando o próximo como a si mesmo. Pastor Leoj não consegue conceber a fé como um comércio onde se paga em favor de bençãos de prosperidade e nem vê a Igreja como um clube social que as pessoas frequentam apenas para se divertirem, terem seu ego massageado ou seus pecados semanais e rotineiros perdoados. Após orar e pedir a Deus por sabedoria, ele reafirma sua decisão de servir no ministério da melhor forma possível para a igreja e, mesmo triste, decide que atenderá à vontade dos líderes.

Ao longo dos dias, a liderança se prepara para implementar as mudanças na rotina dos cultos e faz ampla divulgação para um culto festivo denominado "Culto da Prosperidade e da Vitória" a ser celebrado no aniversário da igreja. Várias reuniões são feitas para redefinir a abordagem a ser adotada. Durante uma dessas reuniões, visivelmente contrariado, o pastor Leoj passa mal e começa a sentir uma forte dor no peito. Ele é levado às pressas para o hospital onde é diagnosticado um infarto agudo no miocárdio. Sua situação é crítica e ele precisa de uma cirurgia emergencial. Mesmo após o sucesso da cirurgia, os médicos dizem aos familiares que o estado do pastor é preocupante, principalmente porque ele está bem abatido e com sintomas de depressão profunda. A igreja toda fica em oração e tenta superar a incerteza com o futuro de seu líder.

Alguns dias depois, em uma tarde em que o pastor Leoj está sozinho em seu quarto do hospital, um homem desconhecido aparece para visitá-lo. O estranho se dirige ao enfraquecido pastor que parece reconhecê-lo de algum lugar, apesar de não se lembrar. O homem diz que fez parte do passado do pastor e que, depois de reconhecê-lo no noticiário e orar, sentiu o desejo de visitá-lo para contar uma história. Ele era o pai de um grande amigo de infância de Leoj, na época em que o pastor ainda não tinha se convertido. Um dia, ele levou seu filho cristão e Leoj para pescarem em alto mar e foram surpreendidos por uma tempestade. Uma onda grande os atingiu e todos foram parar na água. Sabendo que seu filho já era cristão e o amigo dele não, ele decidiu salvar Leoj primeiro. Infelizmente não houve tempo de salvar seu filho e ele acabou falecendo. Leoj se emociona em sue leito ao relembrar do homem que salvou sua vida. O homem e o pastor caem em prantos e se abraçam. Depois, o homem diz para o pastor que Deus o salvou naquele dia e agora do infarto pois tem um plano e que ele precisa permanecer firme nos propósitos de Deus para cumprir sua missão. 

Com seu ânimo renovado, o pastor Leoj se recupera rapidamente e anuncia para a liderança que irá pregar no culto de aniversário da igreja. Os preparativos são finalizados e o grande dia chega para o "Culto da Prosperidade e da Vitória". A maioria dos presentes é formada de não cristãos e o templo está lotado, sendo que algumas pessoas nem conseguem entrar e têm que assistir ao culto do lado de fora. Com uma banda completa, dançarinos e jogo de luzes, o louvor é bastante animado e a igreja canta em coro. Durante toda a celebração, o pastor Leoj se mantém sereno e concentrado, colocando-se em oração diversas vezes. Depois de toda as apresentações e comemorações, a palavra é então passada ao pastor.

Leoj assume seu lugar no púlpito, abre sua bíblia e faz uma oração com a igreja pedindo que Deus o use para Seu propósito. Depois, ele começa uma pregação totalmente diferente do que havia combinado com a liderança. Usando textos bíblicos, ele diz que a verdadeira prosperidade não depende de bens materiais ou sucesso, mas de se ter um relacionamento ativo e saudável com Deus e com o próximo. Através destes relacionamentos feitos com atitude de humildade e visando servir ao reino de Deus e obedecer a Sua vontade é que se alcança a verdadeira prosperidade. Além disso, ele diz que a maior vitória que pode ser conquistada já foi ganha por Jesus Cristo quando ele se sacrificou por nós e tomou sobre si nossos pecados. Somente quando entendemos isso, pedimos perdão dos nossos pecados e aceitamos Cristo como nosso salvador é que conseguimos a salvação para nossa alma e a vitória contra a condenação eterna. No fim, ele faz um apelo perguntando quais presentes desejam entregar sua vida a Cristo.

Apesar de muitos terem ido embora durante a pregação, quase a totalidade dos presentes decide assumir um compromisso sério diante de Deus e aceitar Jesus como senhor e salvador de suas vidas. Até mesmo a liderança abriu mão de suas novas ideias e decidiu se voltar novamente aos ensinamentos bíblicos e confiar na condução que o pastor Leoj entende ser a vontade de Deus. 

Ainda que a igreja de Leoj não tenha se tornado a maior de sua cidade e nem tenha construído um templo suntuoso, seus membros se mantiveram firmes a atuantes em sua comunidade, pregando a palavra de Deus e resgatando mais pessoas do pecado para levá-las a uma vida verdadeiramente próspera e vitoriosa em Cristo.

Nenhum comentário