Anúncio 1

Últimos Posts

Eu faria assim: Filme de monstro - Parte 2


O dia da viagem chega e Kiam está no aeroporto aguardando a chegada de sua ex-esposa e John. De repente, ele avista os dois e se aproxima para cumprimentá-los:
- Olá, como estão?

Sua ex-esposa o abraça rapidamente. Kiam faz menção de abraçar John e é interpelado por ele, que estica a mão para um cumprimento mais formal. O adolescente esbelto, de cabelos curtos e negros, está carregando uma grande mochila e nem sequer tirou os fones de ouvido para conversar com o pai. Kiam fica um pouco sem jeito e, depois de alguns segundos de silêncio, fala:
- Bom, então vamos logo para não nos atrasarmos e perdermos o vôo.

A mãe de John o abraça e sussurra alguma coisa no ouvido do jovem. Depois, ela dá um outro abraço em Kiam e diz no seu ouvido:
- Tenha paciência com ele. Sei que no fundo ele está empolgado com a viagem, mas esses adolescentes são assim mesmo.

Kiam dá um suspiro e faz um sinal para que John o siga. Os dois andam em silêncio pelo aeroporto e embarcam no avião que os levará até uma cidade próxima à cordilheira do Himalaia. Durante toda a viagem, John permanece em silêncio e ouvindo música com seus fones. Kiam até tenta iniciar uma conversa, mas é sempre rechaçado com respostas monossilábicas de seu filho. John se mostra distante e não parece feliz com a viagem.

Eles chegam na cidade e pegam uma vã que os leva até o vilarejo de onde começarão o passeio. Junto a eles, um grupo de outros 6 turistas falantes. Sua agitação contrasta com o silêncio de Kiam e John. Todos chegam a uma pousada simples onde irão passar a noite e de onde irão partir, na madrugada do dia seguinte, para a trilha que tem previsão de durar 5 dias.

Pai e filho entram no quarto e se sentam nas camas rústicas e desconfortáveis. Kiam olha para seu filho e diz enquanto faz sinal para ele remover os fones:
- John, você está bem? Não falou quase nada na viagem toda.

Seu filho remove os fones e responde com uma cara de desinteresse:
- Tá tudo bem, Kiam. Eu só não estou empolgado com essa viagem que você inventou.

Kiam tira sua mochila, se senta ao lado do filho e diz:
- Eu pensei nessa viagem como uma chance para passarmos um tempo juntos.

John olha para seu pai e diz:
- Sei que você se sente culpado por não ter tempo para me ver e também sei que foi minha mãe quem te obrigou a fazer essa viagem.

Kiam recebe as palavras do filho com surpresa, mas mantém a calma e responde:
- Não foi bem assim, a ideia da viagem foi minha. Sua mãe realmente queria que eu dedicasse mais tempo a você, para podermos conversar e eu te ajudar com seus problemas.
- Mas você nem me conhece, Kiam. Como acha que poderá me ajudar com meus problemas?

As últimas palavras de John atingem Kiam como adagas afiadas e ele se levanta da cama. Depois de andar um pouco pelo quarto, ele diz:
- Você tem razão. Tenho priorizado apenas meu trabalho e acabei me distanciando de você, meu filho. Mas me dê mais uma chance de me aproximar. Vamos tentar aproveitar essa viagem e nos divertirmos juntos.

Kiam faz um sinal relutante com a cabeça, aceitando as palavras do pai. Depois, eles se preparam para dormir e descansar pois irão partir depois de apenas algumas horas. Em suas mentes, a única dificuldade que irão enfrentar será terem que conviver um com o outro. Eles nem imaginam o quanto estão enganados.

Nenhum comentário