Anúncio 1

Últimos Posts

Eu faria assim: Filme de monstro - Parte 6


John reage às palavras de seu pai:
- Como assim vamos caçá-lo? O que você sabe sobre caça? Que chance nós teríamos?

Kiam fica em silêncio por um tempo e, depois de respirar fundo, responde:
- Eu nunca cacei, mas sei que se não fizermos isso não teremos nenhuma chance de sair daqui vivos, pois ele está nos caçando.

A falta de uma resposta de seu filho mostra que Kiam tem razão. Os dois se sentam em volta da fogueira e John questiona seu pai:
- E o que nós faremos para caçá-lo?

Kiam olha para John e diz:
- Eu pensei e acho que temos que fazer uma armadilha cavando um buraco e colocando algumas estacas no fundo. Ainda preciso definir os detalhes, mas vamos deixar isso para amanhã. Agora vamos dormir e descansar.

John suspira e fala:
- Isso se conseguirmos dormir com ele rondando por aí.

Depois disso, os dois ficam calados e se acomodam para dormir. Mesmo com suas mentes agitadas e cheios de medo, o cansaço e a certeza de que precisarão de suas energias fazem com que eles durmam rapidamente.

Assim que o sol nasce os dois se levantam e, após comer alguma coisa, começam a trabalhar na armadilha. John usa um galho para cavar um buraco enquanto Kiam usa o canivete de seu filho para cortar outros galhos e montar a armadilha. Ele faz uma estrutura de madeira para colocar sobre o buraco de maneira e suportar o peso de um deles mas quebrar sob o enorme peso da criatura. O trabalho avança durante todo o dia e Kiam aproveita para conversar com seu filho sobre sua rotina na escola e os problemas que tem enfrentado:
- O que está acontecendo na escola, meu filho?

No início relutante, John começa a falar:
- Eu sou muito discriminado por ser mais calado e não gostar das mesmas coisas que os outros, eles me acham estranho.

Kiam tenta ajudar seu filho:
- As pessoas costumam a atacar aquilo que não entendem, eu sei como é, também sofri com isso. O importante é você não deixar isso mudar sua essência. Quando você mostra que pensa diferente e tem opinião própria, as pessoas te respeitam e começam a te aceitar do jeito que você é.
- E como posso fazer isso?

Seu pai responde:
- Basta você agir com naturalidade e mostrar aos outros que você não é melhor nem pior que ninguém, apenas diferente.

John faz um sinal afirmativo com a cabeça e parece ganhar mais confiança. Os dois ainda conversam bastante, rindo e trocando ideias enquanto trabalham. Apenas no final da tarde eles terminam o buraco. Kiam coloca vários galhos finos afiados no fundo do buraco e depois o cobre com a estrutura de madeira e a esconde com neve. 

Eles estão exaustos e recuperam as energias enquanto comem. Seu silêncio reflete a preocupação com o confronto que se aproxima e eles nem imaginam o terror que os aguarda.

Nenhum comentário